Como acontece o plural das cores?

Vestiu uma camisa e uma bermuda e saiu pra passear. Tanto a bermuda quanto a camisa tinham a cor laranja… E agora? Como eu escrevo? Vestiu uma camisa e uma bermuda LARANJA ou LARANJAS? Como acontece o plural das cores? Eis uma dúvida bastante comum, que você vai perder agora, nessa dica gramatical. Vamos lá! Da próxima vez em que for escrever, com certeza não ficará vermelho de vergonha…
Para construir o plural das cores em um texto, é necessário algumas observações. Termos que originalmente as nomeiam (vermelho, amarelo, verde, azul, branco, preto, cinzento, por exemplo) funcionam como substantivos (“O verde é minha cor predileta”) ou como adjetivos (“Tinha lindos olhos azuis”), obedecendo normalmente às regras de flexão de número.
Ocorre, entretanto, que algumas cores tomam seus nomes emprestados a outros seres (flores, frutas, objetos etc.). Assim, de substantivos (laranja, limão, vinho, violeta, rosa, cinza, gelo, por exemplo) esses termos passam a adjetivos (“camiseta laranja”, “gravata limão”, “vestido vinho”, “blusa violeta”, “camisa rosa”, “terno cinza”, “cortina gelo” etc.). Em alguns casos, são precedidos da expressão “cor de” (“cor de laranja”, “cor de vinho”, “cor-de-rosa” – somente este com os hífens, exceção consagrada pela reforma ortográfica).

Plural das cores

plural das cores

plural das cores

Os nomes das cores propriamente ditas flexionam-se normalmente, mas aqueles oriundos de substantivos permanecem invariáveis. Assim: “camisetas (cor de) laranja”, “gravatas (cor de) limão”, “vestidos (cor de) vinho”, “blusas violeta”, “camisas rosa”, “ternos cinza”, “cortinas gelo” etc.