Cuidado com a má utilização de expressões

mau ou mal bem ou bom

mau ou mal bem ou bom

Você sabe quando usar mau ou mal bem ou bom? Já abordamos algumas vezes por aqui o problema que pode representar a má utilização das expressões “mal” e “mau”. Uma redação pode ter muitos pontos descontados por causa deste tipo de erro. E recentemente  algumas provas de vestibular no Brasil também resolveram testar os conhecimentos dos alunos neste sentido. Recentemente, em uma das provas da FUVEST, os alunos forram desafiados e escrever três frases  com a palvra “mal”.  Mas o fator que realmente  dificultava a questão é que os alunos precisam escrever utilizando os três valores da palavra “mal”.

 

 

Mau ou mal bem ou bom

Todo mundo  lembra-se, imediatamente, de dois desses valores. “Mal” pode ser advérbio, como ocorre na frase:
Aquele jogador joga mal – em que “mal” designa o modo como alguém joga.
“Mal” também pode ser substantivo: Nunca pratique o mal; pratique sempre o bem.
E o terceiro valor gramatical da palavra “mal”? Como sair-se bem, nesse desafio, proposto pela Fuvest? Nada complicado… É o de conjunção indicativa de tempo e equivalendo a “logo que”, “assim que”, “imediatamente depois que”:
Assim que você saiu
Logo que você saiu
Mal você saiu, ela chegou
Esse “mal” escreve-se com “l” e é conjunção.
Outra dúvida em relação a essa palavrinha diz respeito a sua grafia. Isso ocorre porque também existe “mau”, com “u”. Para resolver essa questão, há uma dica muito útil: “mau” com “u” se opõe a “bom”; “mal” com “l” se opõe a “bem”.
Ronaldinho Gaúcho joga bem.
Ronaldinho Gaúcho jogou mal, na última partida contra o Atlético Mineiro.
Sílvio Santos é bom apresentador.
Sílvio Santos é mau apresentador.